terça-feira, 4 de maio de 2010

Para amar

Às vezes seus olhos me partem
naquele sorriso tolo
que o desdém é além-amor
às vezes ao partilhar
de meus infernos, como o amor
me transformo na pior das espécies
simpatizando com sua adaga
que me fere, me ataca
nem o domingo mais monótono
nem a sexta mais esperada
com os chocolates de desprazer
é que me mata como essa intolerância
pois, ao olhar nos meus olhos
não sabes
quantos leões eu mato,
quantos gatos eu chuto,
só pra te ver com um sorriso
mas o sorriso para além
do prazer de me amar

2 comentários:

jessica disse...

Parabéns Peracini! Adorei!
beijos

luisa disse...

Odeio como vc ainda consegue escrever bem. =S
AUHaUHAUH
Mentira, eu adoro!!

beeeijo**