domingo, 26 de junho de 2011

A vida sem nexo.

O mundo de ponta cabeças me leva ao fundo do mar de confusões. Encanto no meu canto e rastejo ao prédio de amor que preciso. É extremamente cansativa essa atividade em ebulição. Esse tormento, essa loucura que é viver. Não me canso de pensar que vivendo a gente aprende e aprendendo é o caminho para se viver melhor. Ao dormir penso no glossário do meu dia, reviso todo um contexto que nunca será igual. As horas e os dias voam como o vento de um tornado... um furacão de vivência. É isso que é viver. Isso é amar a vida. Cansando, amando, crescendo... confundindo e confundindo-se.
Mais um fim no meu louco e breve diário do mês. É triste parar com as palavras. É triste não ser entendido. O mundo é um desafio e eu sou maluco por desafios.
Ter e ser algum orgulho é requisito para um longo e ótimo caminho, mas como nada é de graça, ainda temos que lutar e usar de uma força incomum para seguir em frente. Mais um dia, mais uma semana, mais um mês e a vida continua seguindo seus caminhos, seus apegos e desapegos. Nada é surpresa e tudo é um sonho a ser conquistado!
Não chego nem a tentar ser como queiram que eu seja. Qual o motivo de quererem me botar correntes? Eu preciso estar tranquilo, como nas músicas, nos filmes. Essa semana eu vi o que é ficar tenso, quais as consequências, mas como não ser assim com tudo o que se passa na nossa cabeça? Todos pensam que o mundo gira em torno de si, mesmo sabendo que não é nada disso não é fácil relaxar.
Em mais um dia, tantas angustias e desesperos. A dor de não saber o que pode acontecer atinge meio mundo, a outra metade não se importa. Um presságio de breve futuro e ainda tudo tão quieto. A única certeza da vida é o momento menos esperado e todas as incertezas causam esses sintomas de sei-lá-o-que.
Passam-se os capítulos da vida, rodam os personagens e as histórias se repetem. Cabe uma observação: a vida é tão cheia de desafios que saber qual é o desafio do momento é o maior desafio. Podemos parar, lutar ou apenas seguir sendo apenas qualquer coisa a mais no mundo.
Todos precisam de uma loucura, minha loucura é a vida, é viver... Quero sempre mais do que eu posso, do que acontece. Minha loucura é querer sempre, é escrever e esfriar minha cabeça vomitando essas palavras. A vida: não me tirem essa loucura necessária. Não tirem, todos querem ser loucos, os caretas odeiam ser caretas, eles se escondem em um ser que não gostam e seus sonhos são todos focados na liberdade. Aos caretas: libertem-se! Assim, como andar sem rumo, ser um andarilho da vida e sempre ser seu louco.
É no silêncio que aprendemos mais, mas um silêncio gritante é o que nos move. Já ficou parado e louco para gritar, mas contigo mesmo, sem saber o que? Sem saber o que querer e o que pode fazer? Isso é a vontade de ser o que reprime!

Um comentário:

Matheus Viana Machado disse...

Cara, muito bom! Poético! Louco! "Classudo"!

Parabens.

à proposito, seu blog tá linkado no meu.

Grande abraço

--
Theus