domingo, 6 de setembro de 2009

Momentos Mortos

Naquele dia, chuvoso
Apenas o barulho das gotas
No surrado telhado
Você acordou hoje cansado
Quis um mundo só seu
E não foi possível
O fardo carregado
Das dores acumuladas
São demais para sua cabeça
Seus pensamentos maléficos
Seus atos insanos

Não se trata de loucura
Muito menos de doença
A questão é o cansaço
A fadiga do mundo cheio de regra
Sempre foi apaixonado pelo obscuro
Andando na chuva, o rosto molhado
Escorrem as gotas, parecem lágrimas
Mas você sabe
Há tempos suas lágrimas secaram
Mas a liberdade de sentir
A brisa da chuva no corpo gelado
É momento único e o tempo
O tempo que se perdeu
Seguindo todos, esse tempo
Não volta

Hoje você recomeça
E depois de uma noite de sono
Os sonhos novos se foram
Como a gota...
Que molhou tua consciência!

2 comentários:

pauane disse...

Muito bom campeão ;D

te amo

luisa disse...

Antes a chuva do que as lágrimas mesmo....

Ou não....sei lá AUHAUHAUHAUH