terça-feira, 13 de outubro de 2009

Área de Radiação

Minha cabeça está com cólica porque a minha mão não para de dançar aquele frevo que o Led Zeppelin tocou no saxofone do Dylan. Esse gato latindo, para o afinador cego do violão sem cordas, não corre atrás do rato voador que voou sobre a minha perna presa nas fezes do elefante que comia farinha com Whisky falso. Preciso ainda hoje fumar aquele charuto da Brahma para relaxar antes de dormir e sonhar com o sol nascendo sobre as areias do cerrado repleto de chuva ácida. Não entendo como o camelo levando aquele homem bêbado ainda consegue dar a partida e bater nos postes de borracha molhado com o sereno da tarde linda e também não sei como o avestruz voou em cima daquela pessoa que não bebe e estava indo à igreja, mas por incrível que pareça ainda uma asa caiu em suas mãos e ela voou junto sem reclamar o sol que molhava seu rosto. Não vou mais reparar no locutor bêbado da noite insólita. Não vou! - Aqui está quente, não acha? - E quando ela pediu um trago no arguile com cheiro de maçã verde queimando a água fria em seu leito amante do vazio simples, apenas delirei e a vi assoprar o líquido que saiu naquele copo preso dentro de uma mangueira azul como um fio sem o interruptor. Não compreendo! Não quero compreender como meu mundo é complexo e desinteressante, mas ainda quero curtir o resto do da minha vida sem interrupções, porque o desinteresse é que me deixa feliz. Sim! - Garçom, me vê um copo de Whisky com gelo. Obrigado - Pronto, agora eu durmo feliz e incansavelmente bêbado!

Um comentário:

luisa disse...

*-*

Adoro viagens!!!!

AHUAHUAHAUHAUHAUHUHAUAHUAH

Só vc pra colocar um gato latindo, camelo e saxofone do Dylan num mesmo lugar e fazer todo sentido.
AAHAUHHUAUHA

=D