sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Socialmente desagradável

O problema é que o mundo tomado por uma onda complexa de mitos modernos não pode ficar atrás de sua obscuridade minuciosa falando em ordem, enquanto o mundo que não se da por vencido por esses mitos acompanha os loucos em um anarquismo profundo em sua mente diferenciada. A única prisão é o medo da liberdade. O livre arbítrio é algo importante que o ser humano deve usar para o seu bem. É uma escolha simples de pessoas que tem uma visão do seu mundo, de suas escolhas. A importância disso para a formação da personalidade é tão importante quanto à educação. Não tão só em sua completa e maldosa individualidade o homem pode compartilhar de seus desejos e suas ambições com súditos que mesmo tendo o respeito sempre tem em sua mente a vontade de dar rasteiras e tomar todo o poder. Se isso pode ser chamado de sociedade, pois em uma sociedade formada sempre há a hierarquia e seus súditos, então o mundo hoje está em eterna decadência, não há respeito e nem amizades. Favores só são feitos por conseqüência de dinheiro e mais dinheiro. Não há apadrinhamento de um ser sobre o outro, pois isso necessita de uma sinceridade em que a individualidade hoje não sabe que existe. O ser-vivo se vê jogado em meio ao lixo, não só pelo fato de que hoje tudo o que temos são lixos, esses bens materiais não duráveis que agregam o inútil ao agradável, mas também pelo fato de que o lixo, ou seja, o dinheiro – aquele papel tingido – toma conta de todas as decisões. Hoje não existem pessoas que vivem sem essa necessidade, cairia na hipocrisia se dissesse isso, mas a questão pertinente é se isso vale mais do que o prazer do sorriso, embora dinheiro traga sorriso a muitas pessoas, a espontaneidade alegra mais sinceramente. Os mitos modernos supracitados são os que levam o ser mediano a desgraça de viver por conta de um sistema que prova ter males e males. Não diria que o sistema aliena, diria sim que o que aliena é a ambição e, sim, por conta do sistema essa ambição é sempre maior, pois, se um toma uma rasteira lá em cima o outro daqui debaixo sobe um degrau, portando o pensamento de derrubar o de cima está sempre rondando os que querem sua fatia do bolo. Se o viver nesse mundo é isso, prefiro enterrar-me nas minhas fantasias anárquicas.

Um comentário:

luisa disse...

Calma Bolachinha....a questão afetiva napolitana ainda reinará em muitos corações mesmo com o lixo da sociedade =D