segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

masturbações mentais e virtuais (censura livre)

Que mundo? Putz, será que já existiu um conceito de mundo ou sempre foi essa merda? Mundo pra mim é algo coletivo, mas hoje isso mão existe mais, somos todos tão egoístas e individualistas que todo e qualquer conceito que envolva coletividade é velho e antiquado.
O que é ética? Nessa droga de sociedade, digo sociedade mesmo, pois alguém já viu sócios sem brigas constantes? E vivemos numa briga enorme, voltando... essa droga de sociedade está destruindo tudo o que já foi imaginado um dia. E ética foi imaginado, uma utopia do século XX que tentam trazer para o século atual, porém esse nosso capitalismo selvagem não deixa essa utopia ser nem alvo de discussão e sonhos.
Moral existe? Se você é uma pessoa que quer ver uma sociedade com uma moral decente, você é demagogo, é a mesma coisa para você que têm princípios, isso tudo é a mesma merda, e, caramba, como é merda mesmo isso aqui. Desconcertante querer pensar e ser alguma coisa decente hoje em dia.
Amor, como é possível que essa loucura dos séculos passados ainda seja tema da nossa sociedade, sendo que eu vejo que os valores que rodeiam o amor foram parar na lixeira da esquina, ou na lixeira do seu notebook cheio de bostas do hard disk? Como pode-se pensar em amor nesse individualismo que existe? Ainda existem uns loucos que amam pra valer e que dão a vida ao ser amado e ao bem amado, digo isso porque bens são tão amados quanto as pessoas hoje. Ás vezes eu penso que o amor se resume a sexo e é compreensível esse meu pensamento. Nesse mundo individualista nada mais normal do que deixarmos um sentimento de lado para pensarmos em coisas que vão nos trazer matéria e capital. O Amor é Sexo e pronto! – Oi, amor. Como foi seu dia? – Um breve silêncio... – Uma droga, perdi um bom negócio! Vou tomar um banho, me espere na cama depois que arrumar a cozinha. – Pronto, já foi o resumo do seu dia e já mostrou ao seu amor domesticado o que fazer. Isso é amor? Isso é puro casamento... E casamento não é artigo de luxo, se o companheiro não é a pessoa que você goste de compartilhar seus problemas e glórias, então ele não é nada. Amor é gostoso, é necessário para vencer, é preciso amar, é preciso saber o que amar e o que fazer.
Todas essas circunstâncias nos tornam cada vez mais céticos a tudo o que pode acontecer e o que acontece. Não sei, mas esse meu texto faz parte desse ceticismo e dessa loucura. Eu escrevo para ninguém, em um lugar que ninguém vai mexer e isso acaba em um blog, o que é moda hoje em dia, porém não sou pago para isso e não me orgulho... só deposito isso em um blog, pois acho interessante querer compartilhar essas masturbações mentais e sei que ninguém acaba lendo e acho até reconfortante a ideia de escrever em um nada para ninguém uma coisa que sou louco para compartilhar... aliás, eu adoro esses paradoxos da minha louca cabeça.
É tão raro ver ética, é tão raro ver amor, é tão raro ver moral... bem vindo ao verdadeiro mundo. Uma bosta!

2 comentários:

Vitor "sem noção" disse...

adorei o diálogo do casalzinho hehehe

Mauro Bartolomeu disse...

"Amo a humanidade, o que não suporto são as pessoas"... Abç!