sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Memória em Desalento.

Ruídos, todos incomodam
na cadeira, no canto da sala,

observando você,
nas fotos, é claro,
amor.

O bater das asas do pássaro verde
estremeceu todo meu corpo,
como se fosse mágica,

ânsia para que chegue a chuva
aliviando a dor da ausência,

um livro,

tristonho e objetivo.
Consciência dolorida e,
sonho...

porque não fui contigo?

Triste desatino,
seus lábios doces
não estão juntos aos meus,

triste desencontro.

4 comentários:

-¦- đαиï̯ -¦- disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
-¦- đαиï̯ -¦- disse...

olá, lindo texto/poema, vc escreve muito bem! parabéns pelo blog!
bjos

Krlos disse...

esses textos estão todos bons
parabéns
falow
abc
até +

jessica disse...

AGORA VIROU POETA TAMBÉM? VOCÊ É TALENTOSO DEMAIS MENINO! PARABÉNS, ADOREI! BJO